Google+ Confraria do Bruxo: Medo

domingo, 25 de agosto de 2013

Medo


"Não tenho medo da vida, mas, sim, medo de viver.
Eis a loucura assumida, você há de imaginar.
É que a vida atou-se a mim desde o dia em que eu nasci.
Viver tornou-se, outrossim, o modo de desatar;
Viver tornou-se o dever de me desembaraçar;
A vida é somente um dom independente de quem
 seja capaz de gritar seu nome em alto e bom som."

Esta letra é de uma canção de Gilberto Gil, mas dá um parâmetro bem claro de nossa situação. Enquanto viventes, temos um medo inconsciente de viver sem mesmo nos apercebermos que nascemos por medo, temos medo desde o instante de nossa concepção, pois lutamos com vários espermatozoides, para sermos o único a fecundar um óvulo e virar vida. A próxima etapa deixar a fase parasita e entrarmos no mundo, cheio de novidades, de coisas novas e utilizamos o choro para termos a coragem ainda inconsciente de iniciar a caminhada, sentamos, engatinhamos, ficamos de pé, corremos e sempre almejando melhorarmos dia a dia, mas está lá nosso fiel companheiro, o medo a nos encorajar. Vamos assim pela vida toda, sempre com o medo como alavanca propulsora que nos põem a caminhar e a viver. Partindo dessa ideia, você já observou que muitas vezes achamos que o medo é nosso inimigo quando deveríamos vê-lo como algo que nos faz caminhar e querer ir adiante para de repente escapar dele, como se fossemos capazes de não senti-lo. Temos que usá-lo, compreendê-lo e dominá-lo, assim poderemos fazer deste sentimento algo renovador para nossas buscas e nosso crescimento. A negação do medo não o torna maior ou menor, mas sim, o desejo de vencê-lo é que nos faz aptos a evoluir e crescermos a ponto de dominá-lo, somente assim poderemos transformar esse medo em ponto de firmeza para caminharmos sempre mais e mais rumo a nossos sonhos e metas de qualquer situação de vida.

Saudações Fraternas,
Bruxo Branco