Google+ Confraria do Bruxo: História de Santa Catarina de Alexandria

domingo, 10 de março de 2013

História de Santa Catarina de Alexandria



Santa Catarina nasceu no ano 300, em Alexandria, no Egito, numa época em que se promovia uma forte perseguição aos cristãos. Pertencente a uma família nobre, estudou filosofia, teologia e outras ciências. Além de muito inteligente e culta, era dotada de singular beleza.

Fascinado por seus encantos, o imperador Maximino Daia procurou divorciar-se de sua esposa para casar com Catarina. Diante de sua recusa, ele convocou cinquenta sábios com o objetivo de convencê-la de que Jesus não tinha poderes de modo a fazê-la desistir de sua fé. Entretanto, a Santa não somente refutou as posições dos sábios, como converteu-os ao cristianismo.

Furioso pela derrota, Maximino mandou executar todos os sábios e torturá-la sob uma roda com pontas de ferro que, em contato com o seu corpo, quebraram-se ao meio e nada fizeram contra ela. Por causa disso, Santa Catarina é invocada pelos que trabalham com rodas. Foi ordenado, então, que ela fosse decapitada. Quando deceparam sua cabeça, do seu pescoço começou a brotar leite ao invés de sangue, daí, ser ela invocada pelas mães que, tendo pouco leite, precisam amamentar seus filhos.

Os relatos de seu martírio continuam. Contam que os anjos desceram dos céus e levaram seu corpo para o Monte Sinai, onde mais tarde teria surgido um mosteiro consagrado à sua memória.
Santa  Catarina era uma das vozes que Santa Joana d’Arc ouvia.

Em exaltação à Santa Catarina, foram levantadas numerosas igrejas em toda a Europa. Por sua sabedoria, a Santa é invocada como protetora pelos estudantes, intelectuais e filósofos. Literatura e arte celebraram os louvores e imortalizaram sua figura. A Universidade de Paris escolheu-a como padroeira. E o Brasil honra-se em tê-la protetora de um Estado, que leva seu nome. O dia 25 de novembro é dedicado a Santa Catarina de Alexandria.

A imagem de Santa Catarina de Alexandria foi colocada na capela construída em Santos por volta de 1540, no sopé do outeiro que recebeu o seu nome, pelo casal Luiz de Góes e Catarina de Aguillar

Em 1591, a capela foi parcialmente destruída e a imagem lançada ao mar pelos corsários de Thomas Cavendish e, após 72 anos, em 1663, recolhida casualmente por escravos de jesuítas. Por iniciativa do Padre Alexandre de Gusmão e com a ajuda do povo, a capela foi reedificada, desta vez no alto do Outeiro. No século XIX, a capela foi demolida para a abertura da Rua Santa Catarina, hoje Visconde do Rio Branco.

A imagem de Santa Catarina de Alexandria, peça em madeira do século XVI, medindo aproximadamente 90 cm de altura, hoje pertence ao acervo do Museu de Arte Sacra de Santos e é a mais antiga do local, possuindo grande valor artístico, histórico e afetivo.


ORAÇÃO À SANTA CATARINA

Ó Santa Catarina, vós quebrastes a roda da engrenagem das mãos dos torturadores e por isto sois invocada como protetora contra os acidentes; eu vos peço, protegei-me de todo e qualquer acidente. Acidentes de trânsito, acidentes com arma de fogo, acidentes de quedas e tombos, acidentes a pé e a cavalo, acidentes com instrumentos de trabalho, acidentes com venenos e agrotóxicos, acidentes com máquinas e explosivos, acidentes de mordidas de cobras ou aranhas, acidentes em casa, na estrada, na roça, no campo ou no mato. Protegei meu corpo de todo e qualquer perigo que a cada instante estou sujeito a enfrentar. Defendei também a minha alma contra os perigos espirituais, que são tantos, em toda parte. Santa Catarina, protegei-me e salvai-me. Amém !


Abraços Fraternos,
Bruxo Branco!